El Niño – Aumentando seu Prazer

Estamos a menos de um mês do inverno em nosso hemisfério e segundo as previsões em função do fenômeno “El Niño” esse ano teremos uma estação mais fria e chegando ainda mais cedo.  
O fenômeno deste período é comparado ao de 1997/1998 e lembro que fez muito frio, nesse período estava de passagem em Curitiba e por lá bateu -1°C, com uma sensação térmica de -5°C, não que Curitiba não faça frio, mas nos últimos anos essas temperaturas atingem com muito menos frequência, mas naquele ano se fez por muito mais tempo e com a mesma intensidade. 

Você já deve estar imaginando passando por essa estação, com belos vinhos e ainda com os dois dias da mais charmosa do Brasil – a ExpoVinhos de Vitória. É bem isso que proponho, já é hora de aproveitar a estação mais convidativa do ano para os excelentes e encorpados tintos, acompanhados por pratos mais condimentados, queijos e tudo mais que o inverno nos proporciona. Aquele final de semana na serra com direito a foundue, pode ser uma bela opção antecipada, ou até uma viagem a Patagônia (Argentina) onde esse clima frio deve intensificar ainda mais e por lá beber seus belos Pinot Noir acompanhados dos seus excelentes cortes de carnes.

Enfim o frio até assusta muita gente, nos faz ter aquela preguiça de ficar em baixo do cobertor, e pode até ser mais uma alternativa: lareira, cobertor, foundue e uma tacinha de tinto, ou um fim de noite com um bom Cognac ou o incomum Pineau des Charentes. O que fica é ideia que podemos aproveitar o melhor da estação e já que será prolongada, podemos desde já abastecer nossa adega e ir lentamente consumindo até que a primavera chegue.

Dicas de consumo:
Pineau des Charentes Louis Royer rosé, vinho fortificado da região de Charents (França) feito à base de conhaque e suco de uvas, nesse caso Merlot e Cabernet Sauvignon, com doçura adequada e mais leve que um porto, para se beber como aperitivo (até gelado) ou acompanhando a sobremesa. Na faixa de dos R$ 250.

Conhaque: Esse destilado à base de vinho, feito originalmente em Cognac (França) é apresentado em diversas formas, variando suas uvas e tempo de passagem em madeira. Usado também na alta gastronomia para cocção ou para flambar frutas e sobremesas é uma bela pedida para o fim de noite. No Brasil temos vários à disposição, seu preço está relacionado a esse tempo de passagem em madeira, sendo os de boa qualidade não inferior a 2 anos. Conhecido também como Brandy caso do espanhol Osborne, é um produto com muitas opções de preço, mas com sabor bem aprazível.

Um bom “começo” de inverno!

Publicado por Alexandre Santucci

Escrevo, comunico!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.