Artistas Na Cena: FÁBIO ASSUNÇÃO

Nascido Fábio Assunção Pinto, em São Paulo, sob o sol de Leão, estava fadado a brilhar.
Inciado nas artes através da música, Fábio Assunção chegou até a montar um banda no auge da adolescência, a Delta T, mas foi no Teatro que o jovem Fábio se encontrou.
Assim como parte sua geração, não foi através de um curso profissionalizante que o projetou, mas um curso livre na Fundação das Artes, em São Caetano (São Paulo), que o iniciou e fez o jovem leonino sonhar com o estrelato. Sua fulminante carreira, intensa como sua personalidade, começou quinze dias após enviar seu material à Rede Globo, Testado e escolhido começou em “Meu Bem, Meu Mal” (de Cassiano Gabus Mendes -colaboração de Maria Adelaide Amaral – e Direção de Paulo Ubiratan) em 1990 e não parou mais.

É um dos  atores preferidos de Gilberto Braga, por isso integrou o elenco de vários trabalhos do autor, como:  “Pátria Minha”, em 1994, a minissérie “Labirinto”, de 1998, “Força de um Desejo” (1999), “Celebridade” (2003) e “Paraíso Tropical” (2007).


Com uma carreira sólida na TV, Cinema e no Teatro o versátil ator desempenhou papeis, que todo ator sonha em fazer, sejam mocinhos ou vilões, galãs, protagonistas e humoristas como o no que atua recentemente: o seriado “Tapas & Beijos”.

Acostumado aos desafios, Fábio é sempre visto como um ator apaixonado e com muito foco no que faz, capaz de gravar 40 cenas num mesmo dia e com emoções bem diferentes. Suas qualidades levaram ao reconhecimento pelos prêmios que recebeu, pelos desempenhos em todas as áreas de atuação.

Duas interpretações merecem nosso destaque: Marcos Mezenga em O Rei do Gado em 1996 e como o inesquecível vilão Renato Mendes de Celebridade em 2004.

Rei do Gado e Celebridade

Essa pulsão de viver e fazer o melhor por sua arte, fez com que o ator tivesse um breve período para repensar sua vida e carreira, se afastando dos holofotes no final da década passada para tratar do corpo e da mente.

Era o merecido descanso para que o leonino retomasse suas forças e retornar na bela minissérie Dalva e Herivelto – Uma Canção de Amor, para brilhar intensamente novamente.

Em Cartaz:
No teatro integra o elenco da peça “Adultérios“, em turnê pelo país e em breve estreia como diretor com a montagem de “O Expresso do Pôr do Sol”, uma adaptação do original “The Sunset Limited”, escrito pelo norte-americano Cormac McCarthy, autor de “Onde os Fracos Não Tem Vez” (2005).

A adaptação esteve a cargo de Maria Adelaide Amaral, no elenco teremos Cacá Amaral e Guilherme Sant’Anna.

“O Expresso do Pôr do Sol” que conta a história de dois homens com passados diferentes que debatem sobre o valor de suas existências, após se verem fechados em um apartamento no subúrbio, estreia no  Teatro Tucarena, em São Paulo, no dia 1º de Setembro , de sexta à domingo e fica em cartaz, a principio até o dia 30 de Novembro.

Publicado por Alexandre Santucci

Escrevo, comunico!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.