Você sabe o que é Netweaving?


🎙 Ouça o podcast do Santucci  🎙

Vou contar uma história…

Havia um produtor de vinhos, muito respeitado, competente, preferia ser reconhecido por seu produto, sua história. Não era da turma dos vinhateiros, mas os conhecia, respeitava-os, pertencia ao meio.

Um dia uma elegante produtora de rolhas o procurou dizendo ter um ótimo produto e que era conhecida dos vinhateiros do lugar, tinha um belo networking com eles. Ele aceitou a oferta e passou a comprar dela as rolhas. Com o tempo ela ofertava mais e mais, tinha bons argumentos, previa excelentes safras e compras por novos mercados, dizia que o ajudaria se fosse preciso. Ele pensava na coerência das justificativas e comprava, até que num ponto já tinha rolha para duas boas safras. Quando ela voltou com mais uma oferta ele recusou. Ela, indignada, saiu. Insistiu algumas vezes, ele, cordato, explicava que não havia mais necessidade de compra naquele momento. Ele passou a não mais atendê-la, dizendo que se precisasse a contataria.

Muito ofendida, procurou pessoas do relacionamento dele e disse que ele a maltratou, fez de forma elegante, mas fez. A curiosidade levou essas pessoas por saber mais, ela por sua vez, disse que talvez ele estivesse quebrado, ou seu produto não estava tão bom, estava perdendo mercado, mas enfim, que não deveria tê-la tratado dessa forma.

A noticia se espalhou, sua comunidade já não o chamava mais e mesmo com os que ele falava, ninguém tocava no assunto, pelo contrário, o tratavam com educação, até que alguns passaram a não responder. 

O “fato” chegou aos seus clientes e como ele era um malfeitor, que abusava de mulheres e adulterava seus vinhos, foi perdendo seus clientes…
Para não perder tudo e deixar de cumprir seus compromissos com fornecedores, prestadores de serviços, vendeu a propriedade e saiu do negócio.

Seus amigos “leais” que também não sabiam do ocorrido o ajudaram.  Mudou de ramo!
Para falar a verdade, a rede que ele fazia parte se ajudava sem ter como objetivo um lucro imediato, uma venda matadora, pelo contrário, falavam em lucro com propósito, como as pessoas que o ajudavam na colheita vinham sempre de fora, sempre indicados por esses amigos, eram pessoas que precisavam do emprego, mas saiam com ensinamentos e progrediam. Era uma rede do bem, tecida como em teias, não havia um influenciador, as pessoas se viam como iguais, relações fraternais, de ajuda.
Isso é Netweaving!

Prof. Santucci
Psicólogo pela USM, Mentor de Marca Pessoal, Escritor e Comunicador, Pós graduado em Medicina Psicossomática (UNAERP), em Artes Cênicas-Teatro (USJ) e Especialista em Marketing. Professor das áreas de Psicologia, Gestão de Pessoas, Marketing, Vendas e Serviços.


Publicado por Alexandre Santucci

Escrevo, comunico!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.