Por que Pessoas Reagem de Forma Diferente com Relação ao Ex?

 

“Guardar o nome ou deixá-lo disponível tem muito a ver com a cor que foi dada a essa relação, às vezes mais coloridas no dia a dia, nas conversas, na aprendizagem de um com o outro, em programas, preferências, no sexo, e muitas vezes uma atividade ligada a essas que tenha uma marca grande nessas vidas, ou a falta de uma dessas atividades ou de um colorido tão intenso no atual parceiro pode evocar esse nome. Realmente é constrangedor, mas às vezes até nem é o próprio parceiro que chama o nome, mas pessoas ligadas como pais, amigos, colegas de trabalho que o fazem, muito pelo hábito, pela convivência com parceiro anterior, porém sabemos que muitas vezes não é”intencional” (é só uma traição do nosso inconsciente, o que se chama ato falho, uma confusão sentimental) e se não for doentio passa com o tempo.” 

 
Uma maneira simples de responder a essa questão seria dizer que o comportamento a partir do fim de um relacionamento está intimamente relacionado ao como se deu a conclusão, se foi por comum acordo ou em face de uma situação desagradável como uma “traição” ou uma briga de grande repercussão.
 
De fato a maneira dessa conclusão afeta diretamente, no entanto mesmo diante da mesma situação o comportamento se altera muito, por quê?
Muitos diante dessa situação vão reagir com carinho (no caso de uma separação amigável e madura) outros com grande rancor e mágoa, porém a ação, atitude pode ser bem diferente a partir daquilo que chamamos de significante.
Como repercute internamente, que significado daremos:

Muitas pessoas mesmo com ódio decidem “extirpar” o nome do ex de seu dicionário, significando “CHEGA” de valorizar este que só te fez mal, outros, no entanto vão liberar todo seu veneno contraído dessa situação e não param de verbalizar esse nome alimentando ainda mais essa mágoa.

 

No caso da resolução amigável, muitos registram seu carinho por todos os momentos bons do relacionamento e preferem manter seu nome por acreditar que estão no caminho certo e vão encontrar alguém com aquilo que játeve com seu ex e um PLUS, vão ter aquilo mais que faltava naquela relação que realmente foi boa. Outros seguem e colocam o nome apenas no mundo das suas memórias.

 

Nos dois casos o nome do ex pode continuar a ser pronunciado ou não em função de como as pessoas vão de fato entender seu sentimento perante o momento.
 
Essa significância, esse elemento interno e internalizado tem muito a ver com o como essa pessoa vivenciou suas relações afetivas na infância e adolescência e evidentemente seu próprio caráter. Excetuando as questões de foro totalmente pessoal, de caráter e espírito, se a pessoa aprendeu a lidar com suas relações de forma livre, se aprendeu com seus pais que a liberdade é necessária para o desenvolvimento, ela vai reagir de forma libertadora com seus ex e procurar entender o momento e liberar seu ex para a vida e principalmente se liberar pra ser feliz. Por outro lado se o ciúme é algo de profundo convívio, muito difícil será sua “separação, uma vez que aprendeu amar com “posse”. Claro essas relações podem ter sido já revistas e essas pessoas tem uma nova visão e não reagem “como nossos pais”.

 

Alexandre Santucci
Envie suas perguntas para  SeR no Divã (sernodiva@gmail.com), seu nome não será publicado.
Publicado no SeR em 13 de Outubro de 2010 19:59

Publicado por Alexandre Santucci

Escrevo, comunico!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.