Por que nos Metemos em Relacionamentos Fadados ao Fracasso?

 

“Conheci um homem na net e me envolvi com ele já faz 4 anos . Eu sou casada e ele também ele ficou seis meses em outro país. Quando ele voltou continuamos a nos encontrar. a mulher dele descobriu tudo , quase chegou ao meu marido, mas eu consegui contornar a situação.
Mas ele viajou novamente e só volta depois de 2 anos eu não consigo viver sem ele ; nem arrumar outro pra ver se consigo esquecê-lo.
O que que devo fazer ?”

 
Net-envolvida,
 
Cada vez mais vemos relacionamentos que se iniciam no mundo virtual, muitos não se materializam, alguns são catastróficos e alguns acabam funcionando. O fato é que cada vez mais estamos nos distanciando de valores e comportamentos que são fundamentais para uma construção edificante e duradoura.
Formas curtas e rápidas, satisfação a qualquer custo, de preferência do jeito mais fácil, no entanto deixamos de prestar atenção que qualquer coisa necessita de tempo para que se torne madura e pronta.
Acaba por faltar o fundamental: conhecimento e intimidade, nenhum casal se dá bem se não conseguir atingir intimidade, assim tudo aquilo que foi suprimido, esquecido, passado por cima fará falta em algum momento.
 
No seu caso, vejo tipicamente essa relação formada, que não é baseada em amor, companheirismo, trata-se simplesmente de um jogo de sedução que funciona por conta da precariedade de sentimentos e que está mais ligada à sensação de bem-estar, de prazer que normalmente a paixão acompanha, paixão juvenil quero deixar claro, pois a paixão madura se deixa levar, mas é norteada, tem fundamento, tem vontade de ser feliz, e não de se machucar, a paixão madura tem os pés no chão.
Caríssima, você não está pesando os riscos em sua vida, você não identifica o que te move e isso não é legal, me parece que está incontrolável o seu desejo sexual e não de relacionamento. Você demonstra que seu marido não faz parte dessa história, ou perdi alguma parte?
Quando me pergunta o que deve fazer, eu te perguntaria o que você acha que está acontecendo com você? Ou de que você está fugindo?
Não me parece que você não pode se separar por que tem uma fortuna a repartir, ou até tem uma vida bacana com seu marido, mas ele não te complementa em algumas áreas, aí tem vontades, desejos, que se resolveriam com uma tarde num motel, com relacionamentos eventuais apenas para satisfazer seus desejos sexuais, uma “belle de jour”, se fosse isso você não me perguntaria o que fazer com esse que foi, mas sim com o que virá.
Agora te devolvo a pergunta: o que de fato você busca?
Alexandre Santucci
Envie suas perguntas para  SeR no Divã (sernodiva@gmail.com), seu nome não será publicado.
Publicado no SeR em 24 de Setembro de 2010 00:01

 

Publicado por Alexandre Santucci

Escrevo, comunico!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.