Quando Você não Consegue Terminar um Relacionamento

 

“Em primeiro lugar e não querendo apresentar nenhuma demagogia, gostaria de parabenizá-lo pelo site. Na sua maioria não me interessam e normalmente,também, não me fazem escrever e-mails. 
Então indo ao que interessa gostaria de contar(vai ser difícil resumir) a minha história ou seria estória, rs, acredite, qualquer uma das duas serve. A conheci no 3° ano do da colégio e ela sempre demonstrou interesse por mim, mas eu até certo instante não sentia a menor atração por ela . Até que a passei notar de forma diferente e então embalamos um romance curto com as portas já para uma namoro que no início, e aqui por mais que pareça o clichê dizer, era perfeito. Respeito,cumplicidade tudo o que o famigerado amor oferece. Ficamos juntos e bens por um ano e meio / dois até nos separarmos pela primeira vez.

Desde então ,caro Alexandre, nada foi com era antes. Surgiram desconfianças,ciúmes exagerados, brigas (quantas e quantas) e apesar de tudo isso sentíamos um sentimento maior um pelo outro . Mas, o tempo passou e parece que esse sentimento sucumbiu na hostilidade da nossa convivência os acontecimentos começaram a ficar mais intragáveis e nessa nos separamos várias vezes. Ela depois de um certo tempo,e o que é agora mais nítido do que nunca, aproveitava bem quando comigo não estava mais. Eu sempre no início tive muita dificuldade para entender mas, com o tempo e a minha inércia me acostumei . E nisso tudo fomos e voltamos algumas vezes.

Mantivemos esse relacionamento por 5 intermináveis anos. E eu amo tanto que se pudesse apagar tudo o que nos aconteceu, todas as verdades sobre ela e o nosso relacionamento que eu de forma inconsciente camuflei no fundo do meu consciente, eu o faria e não digo isso com o ar de um cego(que acho ter sido por muito tempo, mas mesurando a dor que neste momento ainda sinto por tudo. Agora com o fim de nossa tentativa de vivermos o nosso amor e me atrevo a dizer nosso pq apesar de ela ter se transformado em outra pessoa eu sei q ela ainda me ama( certo de que no passado isso era muito mais nítido) tem acontecido algo que realmente me incomoda e mexe muito com meu orgulho , auto-estima e tudo que se direciona com a dignidade de um homem.
Ela agora vai para shows e não sei como , conhece os cantores e fica com eles e se exibe para todos no orkut sem a menor consideração e respeito por ela mesma e é claro por mim (digo por mim aqui por que ela faz questão de falar para as minhas primas e meus familiares) ela simplesmente se transformou em outra pessoa, uma pessoa que eu não aguentava mais suportar, nada do que eu fizesse seria bom o bastante para ela quando estávamos juntos brigávamos muito, era irritante e exaustivo. Me humilhei muito sustentando a idéia de que dessa vez tinha q dar certo – e deu foi é muito errado. E nessas investidas de famosos que ela tem feito me sinto um lixo e não consigo achar a razão para isso . Como disse antes eu ainda a amo e me dói , talvez é claro como fosse para qualquer um que um dia foi tão apaixonado e não poderia imaginar sua vida ,sua rotina sem o outro. Um amor simples, sem tempo para as incertezas e inseguranças de sentimento que às vezes a mente nos prega. Caríssimo, escrevo a você porque já lancei mão de todo o entendimento em busca de uma solução ou ao menos uma luz para minha situação. Não me entenda como alguém idiota que apenas se decepcionou – é mais q isso!! Não sei se com isso me fiz claro ou talvez tenha sido apenas um desabafo. Conto com sua ajuda. Grato” – Eu
 
Pelo seu relato imagino que vocês tenham começado esse relacionamento por volta dos seus 16 ou 17 anos, esse é um período de nossas vidas que ainda temos muitas incertezas sobre nós mesmos, ainda estamos buscando encontrar a nossa IDENTIDADE, não à toa que atingimos a maioridade legal aos 21.
 
Acredito sim que foi um desabafo, mas mais do que isso é um pedido de ajuda, por que realmente é difícil decifrar que sentimento é esse…
 
Quero aproveitar seu texto para mostrar como estamos mudando, como os princípios, conceitos e ideal vem se transformando no que passamos a chamar do homem e da mulher do século 21.
Até a década de 70 o homem sabia que iria encontrar uma mulher, casar, ter filhos, construir um bem, atingir uma certa estabilidade e ser feliz para sempre. A mulher sonhava com seu príncipe encantado, cavalo branco, a roubaria do castelo, daria uma outro castelo com direito a filhos e um novo sobrenome.
 
Isso tudo acontecia naturalmente nessa mesma idade que vocês iniciaram esse romance.
Ocorre “EU” que vocês não são da década de 50, mas já do século 21 que nos confunde muito, não sabemos exatamente os nossos papeis, nem sociais e muito menos naturais.
Intimamente as mulheres sabem o que querem de um homem e nós homens também sabemos o que queremos delas, mas os novos comportamentos e a mudança de ideais, a plurificação de ideais e ideias, turvaram nossa visão e chegamos a adolescência num misto de mundo perfeito, onde o Ronald McDonalds é o nosso tutor?! Entende? Não? Pois é ninguém entende, ao mesmo tempo que você pode beijar todas as meninas numa noite, você sonha em encontrar alguém legal, intimamente ela quer perder a virgindade com seu príncipe, mas as meninas todas do colégio já foram pra cama com um carinha legal, então ela não pode ficar para trás e se for BV (boca virgem) então….Ai Ai Ai, perde a vez na fila da esperança e da felicidade, vira o monstrinho da cidade.
 
Cara, seu relacionamento é puro reflexo do período em que você se encontrava, os agravantes são por conta desse novo jeito de viver, que parece que pode tudo, pode contar tudo, pode envolver todo mundo, ou seja é uma adolescência sem limites, que infelizmente nos dias atuais perduram anos a fio, tem adolescentes de 40, 50 anos e alguns que morrem velho, mas adolescentes. Muitos não conseguem entender e vivem se frustrando de relacionamento em relacionamento, quando o verdadeiro sentido é um ajudar o outro, sendo independentes sim, podem ser, mas deveriam saber lidar com a dependência amorosa, aquela que nos ajuda a prosseguir.
 
O que posso te dizer é que você está sofrendo de um mal que ataca muita gente, em psicologuês costumava se chamar “Vinculo Neurótico”, mesmo você sabendo que aquilo te faz mal, você quer continuar. 
Traduzindo: BAIXA AUTOESTIMA, CARÊNCIA, tem tratamento, vá buscar uma ajuda de um especialista.

A Dica:
Pule fora, esqueça essa moça, faça a fila andar e quem disse que é bacana namorar músico de show? E você mesmo disse, cada show é um músico, um cantor diferente pondo essa moça para dançar.

Cara, diga a você mesmo: Sou mais EU!


Alexandre Santucci,
Psicólogo

Envie suas perguntas para  SeR no divã (sernodiva@gmail.com), seu nome não será publicado.
 
Publicado no SeR em 14 de Março de 2010 21:19

Publicado por Alexandre Santucci

Escrevo, comunico!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.