O Vício

32

E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.

Joao 8

 A VIRTUDE é o VICIO?

A real estréia do “Por um Mundo de verdade”  falou exatamente da verdade e da mentira. 

Mas o que além da falta de verdade tem a mentira? Tem o VICIO.

Sabemos que todas as coisas se completam, uma não existe sem a outra, o que nos cabe é sabermos equilibrar as forças e não tornarmos “ESCRAVOS” de nada, nem de coisas, nem pensamentos ou hábitos. O Caminho LIBERTADOR passa por essa escola, a escola das escolhas LIVRES.

E o que nos aprisiona, o que é vicio?

Atos repetidos sem que possamos controlar, algo que necessitamos a todo custo? Então será que a virtude praticada repetidas vezes não se tornaria um vicio?

Margaret Mead escreveu: “A virtude é quando se tem a dor seguida do prazer; o vício, é quando se tem o prazer seguido da dor”  –  Assim qualquer coisa que julgamos sacrifício poderia se transformar em prazer e portanto seria uma virtude.

Pelos dicionários: Vício[1] (do latim vitium“, que significa “falha ou defeito”) é um hábito repetitivo que degenera ou causa algum prejuízo ao viciado e aos que com ele convivem. O termo também é utilizado de forma amena, muitas vezes deixando um índice de sua acepção completa. Por exemplo, viciado em chocolate. – Vício[2] – Defeito pelo qual uma pessoa ou uma coisa se afasta do tipo normal, de maneira a ficar mais ou menos inapto a cumprir o seu fim; hábito profundamente enraizado e ações gravemente imorais; mau hábito; costumeira; impertinência; erro; libertinagem; desmoralização.

Como vemos o vicio é um hábito e mais uma vez a questão do bom ou mal é situacional.

Para se tornar um vício é necessário um crivo social que o enquadrará como um vício, como um grande vício, um pequeno ou simplesmente uma mania – costumamos dizer “Ah é o jeito dele, ele sempre faz isso…”

Em inglês largar o vício é dito “kick the habit”  que se traduzirmos, ao pé da letra, ficaria como chute o hábito – note que interessante quando falamos chute isso pra lá, dá um chute no traseiro de alguém , estamos falando em português bem falado: LIVRE-SE disso ou de alguém.

Você já deve estar imaginando aonde quero chegar, e se você sempre imagina o fim de alguma coisa, por sua repetição se torna um vício. Mas em realidade o ponto que pretendo abordar é que o vício está intimamente ligado ao seu contexto e muito ao viciado. O termo só será usado, fixado, se os costumes onde este hábito estiver inserido transgrida a ordem “moral” deste ou daquele povo.  Imagine que um Happy hour da Alemanhã aconteça todos os dias e um indivíduo consuma cerca de 10 canecas de chopp, se a mesma situação acontecer na Índia, esse mesmo indivíduo terá dois JULGAMENTOS, num sairá ileso, pois é um costume local aceito, no outro além de viciado será considerado um PECADOR.

Portanto, quando digo que o vício está ligado muito ao viciado vou ainda além, só está ligado ao viciado. O vício ocupa o espaço da verdade, da verdade individual, assim construímos vícios: o vício de encontrar defeitos nos outros (a fofoca, a maledicência…), vício de pensamentos (repetir pensamentos, bons ou maus), vicio da dependência (física, química ou emocional).

São tantos vícios que temos, mas que passam silenciosamente, sorrateiramente e vão criando raízes, que nos aprisionam e nos controlam. Devemos ficar atentos, porque alcolismo, tabagismo, drogadição já não são mais vícios, são doenças por que se perdeu o controle e não porque o produto faz mal. Não são os produtos que tornam um viciado em doente, é a falta de controle do individuo que o transforma em viciado. Os produtos continuaram disponíveis, mas você que escolhe se vai experimentar e se descontrolar. O vicio é o meio da doença, a doença é o fim das escolhas escravizantes.

Pense bem quando você diz que ciúmes é bom, o ciumento é o viciado em dependência afetiva e a doença é o transtorno de humor…

Pense bem quando você diz que tem ódio de alguém, o irado é o viciado em justiça e a doença é o psicopata, o sociopata…

Pense bem quando você diz que está sempre tudo bem, o apático é o viciado em morbidez e a sua doença normalmente ataca seu estômago, gastrites, ulceras e câncer.

Nós podemos ter muitos vícios sem sabermos, por que nos conhecemos muito pouco. Olhe para dentro de si e veja o que te aprisiona, o que te aprisiona é vício, é mentira, o que é VERDADE te LIBERTA!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: